Yell-Oh! Fanzine

Uma Fanzine é um meio de disseminação com baixíssimo custo de produção e uma força de comunicação notável!
A Yell-Oh! é uma Fanzine de distribuição semestral produzida pelo curso de Som e Imagem da Escola das Artes, da Católica.
Para além do formato em papel está também presente online. Aqui encontrarão um espaço de informação mas também de inspiração para todos aqueles que se interessam pela área artística em geral e audiovisual em particular.  

O império da LEGO teve início em 1932, quando Ole Kirk Christiansen, um carpinteiro dinamarquês quase falido, depois de ter perdido a maior parte do seu negócio de carpintaria na grande depressão dos anos 30, começou a fabricar e a vender brinquedos de madeira a partir da sua oficina. Dois anos mais tarde, Ole, deu o nome de LEGO (do dinamarquês “leg godt” que significa “brinca bem”, e do latim “lego” que significa “eu monto”. Esta ilustração foi feita para a patente original de 1958 e mostra em detalhe a anatomia do “tijolo” e das formas que este se pode ligar a outros “tijolos”. Após mais de 50 anos, o design do “tijolo” da LEGO continua, essencialmente, o mesmo.

Artigo por: Bruno Nacarato

O império da LEGO teve início em 1932, quando Ole Kirk Christiansen, um carpinteiro dinamarquês quase falido, depois de ter perdido a maior parte do seu negócio de carpintaria na grande depressão dos anos 30, começou a fabricar e a vender brinquedos de madeira a partir da sua oficina. Dois anos mais tarde, Ole, deu o nome de LEGO (do dinamarquês “leg godt” que significa “brinca bem”, e do latim “lego” que significa “eu monto”. Esta ilustração foi feita para a patente original de 1958 e mostra em detalhe a anatomia do “tijolo” e das formas que este se pode ligar a outros “tijolos”. Após mais de 50 anos, o design do “tijolo” da LEGO continua, essencialmente, o mesmo.

Artigo por: Bruno Nacarato

Curioso para ver se havia alguma semelhança ou contraste dentro de determinados filmes, Pie (link) visa criar uma base incrivelmente simples e concisa de comparação de filmes através de um traço particular: a cor. O resultado é uma série de trípticos comparando vários filmes de trilogias particulares, realizadores ou géneros. Um projecto de Alan Woo

Artigo por: Nuno Pires

Curioso para ver se havia alguma semelhança ou contraste dentro de determinados filmes, Pie (link) visa criar uma base incrivelmente simples e concisa de comparação de filmes através de um traço particular: a cor. O resultado é uma série de trípticos comparando vários filmes de trilogias particulares, realizadores ou géneros. Um projecto de Alan Woo

Artigo por: Nuno Pires

Para aqueles que andam à procura de inspiração, sugiro o site Booooooom (link) que reúne trabalhos de artistas das mais variadas áreas: cinema, vídeo, fotografia, música, design, ilustração, etc.

Artigo por: Carolina Eusébio

Seth Rader (link) é um artista que explora o campo da fotografia, design gráfico e colagem. Com apenas vinte anos de idade, o seu trabalho atingiu uma qualidade incrível, e vale a pena acompanhá-lo. Trata-se de um artista em ascensão, que recomendo vivamente.

Artigo por: Carolina Eusébio

Mike Ghost, vocalista e guitarrista da banda Men Eater (link), baixista da banda More Than A Thousand (link) e embaixador da marca Volcom, é também Fotógrafo. Estes são alguns dos seus retratos e Mike continua sempre à procura de modelos. Para serem fotografados por ele só têm que enviar mensagem para o seu facebook (link). Entretanto, visitem o seu blog porque está em constante actualização (link), sempre com imagens extraordinárias.

Artigo por: Maria João Ferreira

É com todo o gosto que anunciamos a primeira festa da Yell-Oh! Fanzine em parceria com a Associação de Estudantes da Escola das Artes da UCP. Vai ser já na próxima quinta-feira, com exposições artísticas, live-painting, música ao vivo e muita festa!
A entrada no Rua (link) é gratuita, mas não se esqueçam de comprar as vossas pulseiras para o Tendinha dos Clérigos (link).
Para mais informações, vejam o evento no facebook (link)

É com todo o gosto que anunciamos a primeira festa da Yell-Oh! Fanzine em parceria com a Associação de Estudantes da Escola das Artes da UCP. Vai ser já na próxima quinta-feira, com exposições artísticas, live-painting, música ao vivo e muita festa!

A entrada no Rua (link) é gratuita, mas não se esqueçam de comprar as vossas pulseiras para o Tendinha dos Clérigos (link).

Para mais informações, vejam o evento no facebook (link)

Romon Kimin Yang, mais conhecido como Rostarr (link) é um artista coreano que se dedica à ilustração, à pintura e à realização de filmes. Actualmente, Rostarr vive em Brooklyn e o seu trabalho chamou-me a atenção no mini-documentário que a revista Vice fez sobre o artista no âmbito da série documental “Art Talks”.

Artigo por: Carolina Eusébio

Romon Kimin Yang, mais conhecido como Rostarr (link) é um artista coreano que se dedica à ilustração, à pintura e à realização de filmes. Actualmente, Rostarr vive em Brooklyn e o seu trabalho chamou-me a atenção no mini-documentário que a revista Vice fez sobre o artista no âmbito da série documental “Art Talks”.

Artigo por: Carolina Eusébio

24 hours of happy é o mais recente vídeoclip de Pharrell Williams. Porém, com uma novidade, nunca antes vista no mundo da música: é um vídeoclip que dura 24 horas.
Do seu mais recente single, Happy, lançado na banda sonora original de Despicable me 2 (2013), esta música está agora ilustrada com um vídeo de pessoas felizes, ao longo de 24 horas. Com conceito e realização de We are from L.A (link) traz-nos realizadores criativos como Yoann Lemoine, também conhecido como Woodkid, (link) e Mimi Valdés (link).Não deixe de ver a mais recente inovação de Pharrell Williams, no site (link).
Artigo por: Maria João Ferreira

24 hours of happy é o mais recente vídeoclip de Pharrell Williams. Porém, com uma novidade, nunca antes vista no mundo da música: é um vídeoclip que dura 24 horas.

Do seu mais recente single, Happy, lançado na banda sonora original de Despicable me 2 (2013), esta música está agora ilustrada com um vídeo de pessoas felizes, ao longo de 24 horas. Com conceito e realização de We are from L.A (link) traz-nos realizadores criativos como Yoann Lemoine, também conhecido como Woodkid, (link) e Mimi Valdés (link).
Não deixe de ver a mais recente inovação de Pharrell Williams, no site (link).

Artigo por: Maria João Ferreira

Blu é um artista de quem não se sabe muito. Acha-se que é italiano e mora em Bolonha, Itália. Ele trabalha em street art e ficou conhecido por volta de 1999, devido a uma série de graffitis feitos no centro histórico e nos subúrbios na cidade de Bolonha.

Depois disso, Blu já passou um pouco por todo o mundo, participou em festivais e trabalhou com outros artístas conhecidos da área, como OSGEMEOS (link). Blu ilustra e pinta desenhos gigantes em muros, chão, carros e cria histórias a partir deles, usando uma técnica de stop motion.

A sua intenção não é apenas estética, ele também tem como objectivo a transmissão de uma mensagem.

Se ainda não conhece este artísta, aqui estão alguns dos seus trabalhos.

Acima poderão ver BIG BANG BIG BOOM (2010) - premiado com o Grande Prémio Cinanima 2010 -; MUTO (2008) (link); e ainda COMBO  (2009) que se trata de uma colaboração com David Ellis (link).

Poderão ainda consultar o site de Blu (link)

Artigo por: Andrés Garcia

Ouvi falar da Rita Lino pela primeira vez no âmbito da quinta edição do concurso Acrobactic (link), em 2008, e desde então tenho sido uma grande admiradora do seu trabalho. A fotógrafa tem vindo a desenvolver projectos extraordinários, tanto na área da fotografia como do vídeo. Vale a pena dedicar algum tempo a vê-los! (link)
Artigo por: Carolina Eusébio

Ouvi falar da Rita Lino pela primeira vez no âmbito da quinta edição do concurso Acrobactic (link), em 2008, e desde então tenho sido uma grande admiradora do seu trabalho. A fotógrafa tem vindo a desenvolver projectos extraordinários, tanto na área da fotografia como do vídeo. Vale a pena dedicar algum tempo a vê-los! (link)

Artigo por: Carolina Eusébio

Mátias Piñeiro é um realizador argentino (Buenos Aires), nascido em 1982. A sua carreira no cinema começa em 2004, como assistente de realização de Francisco Pedemonte em “En Silencio" (2004). Escreve todos os projectos que realiza e o primeiro projecto a realizar em nome próprio chama-se "A propósito de Buenos Aires" (2006) e é de estilo documental. Desde então realiza três longas e uma curta-metragem, todos bastante aclamadas pela crítica. E é exactamente de uma longa que aqui falamos: "Viola" (2012) é o mais recente trabalho de Piñeiro e é um filme vai certamente continuar a ser tema de conversa por parte da crítica internacional. 

Artigo por: João Pedro Silva

Robert Capa (1913-1954) foi um foto-repórter de guerra que ficou famoso pela fotografia que podemos ver acima, de nome The Falling Soldier, feita durante a Guerra Civil Espanhola, em 1936. Nesta fotografia vemos um soldado no preciso momento em que uma bala lhe sai do crânio.

Desde da altura em que a fotografia se tornou famosa, que existe uma grande especulação em volta do facto se teria sido encenada ou manipulada de alguma forma, pois o momento é demasiado flagrante.

Toda esta especulação foi agora desmistificada nesta entrevista de áudio, onde podemos ouvir o próprio Robert Capa a falar sobre o momento em que fez a fotografia The Falling Soldier. (Para ouvir o excerto sobre esta fotografia, saltem, no ficheiro áudio, para os 11 minutos e 20 segundos).

Artigo por: Maria João Ferreira

James Turrell, nascido em 1943 nos Estado Unidos da América, centrou o seu trabalho de vida na exploração da luz, da cor e do espaço.

A sua primeira exposição foi nos anos 60, mais precisamente em 66, e consistia em deixar a luz passar de janelas mas só em determinados pontos estratégicos. Hoje em dia, o artista expôs o seu trabalho mais recente em Guggenheim, denominado de “Aten Reign” (link1, link2).

Artigo por: Ivo Santos

Noell S. Oszvald fotografa há apenas um ano mas as suas imagens falam por si. Dotadas de uma delicadeza e serenidade refrescantes, encontram-se sobretudo na categoria do auto-retrato, e já são um sucesso no flickr.

Podem ver mais trabalhos da artista aqui (link)

Artigo por: Carolina Eusébio

David O’Reilly é um realizador, animador e escritor Irlandês que se faz notar pela sua abordagem provocadora e estilo inovador na área da animação 3D.

"The External World" (2010), Adventure Time - A Glitch Is A Glitch" (2013) e "Please Say Something" (2009), são alguns exemplos onde O’Reilly explora a tridimensionalidade digital através da simplicidade de formas e texturas, criando a sua própria linguagem visual.

Poderão assistir ao seu trabalho Please Say Something" (2009) no vídeo que aqui mostramos.

Artigo por: Daniela Bonaparte